Blues, Beat & Beer
sábado, setembro 13, 2008
  Das cinzas nada surge


Das cinzas nada surge
olhos cerrados neste segundo ato
olhos fechados e céus ensangüentados
estou só por você de novo
se a vida é um palco
meu mundo é um monólogo

Como uma noite calma
o vento aguarda o final da estação
como uma noite gentil
as memórias aguardam a ultima decisão
se a vida é um palco
meu mundo é um monólogo

Asfaltadas estradas cruzam túneis de árvores de flores
entre viagens e revoltas de um subúrbio de vida
a morte mostra seu sorriso
terra dos sonhos em chamas

Eu sei onde vai o bravo guerreiro
cavalga nos braços de sua Valquíria
deusa-virgem o conduz até o grande banquete
feliz daquele que escapa de todo esse sangue e sujeira

Encontrarei meus amigos nas costas deste cavalo branco

 

Site Meter

Divulgue o seu blog!



Christon Delàs
christon.delas@yahoo.com

"It comes blundering over the
Boulders at night, it stays
Frightened outside the
Range of my campfire
I go to meet it at the
Edge of the light."
Gary Snyder
(How Poetry Comes to Me)

Outros Sites Similares ou Não
Literary Kicks / Utne.com / Beat, Whisky et Poésie / Post Road Magazine / Quadrinho Ordinário / Mau Humor / Ignorância Times / Desconstrualistas / Lactobacilo Morto / Pagando o Pato / Red Meat / ( ... ) / Beat Brasil /

Um Dia Eu Escrevi Isso
A Origem de Tudo / O Melhor Produto da Religião / O Possante / A Ambição é uma Merda /

Os Ultimos Textos
Ninfa / Frase / Filhos de nossa cabeça / A vitrine da alma / Das cinzas nada surge / El Cobarde / Sílvia e Carlão / O Bispo / Le Lautrec / A Velha Dama de Paris /

No Passado
Agosto 2005 / Setembro 2005 / Outubro 2005 / Novembro 2005 / Dezembro 2005 / Janeiro 2006 / Março 2006 / Abril 2006 / Junho 2006 / Setembro 2008 / Fevereiro 2009 / Junho 2009 / Maio 2011 / Setembro 2012 /